google-site-verification=DlPUxduZVoPOEB5b_QbJcG4cgTHg9-H-y1cDUQwxZuA google-site-verification=DlPUxduZVoPOEB5b_QbJcG4cgTHg9-H-y1cDUQwxZuA
 

Carteira de habilitação no currículo: onde e por que colocar?

Entenda o que fazer na hora de elaborar o seu resumo profissional e de que forma uma CNH pode abrir oportunidades profissionais


Na busca por um emprego, é muito normal surgirem dúvidas sobre a elaboração de um CV. Devo colocar a CNH no currículo? Devo incluir dados pessoais? Que tipo de experiência profissional preciso destacar?

São perguntas bastante pertinentes, cujas respostas vão variar conforme o caso. Logo, não tem receita de bolo: o mais importante é saber quais são os seus objetivos profissionais antes de escolher o que entra e o que não entra em seu CV.

A gente sabe que, em alguns casos, a CNH pode fazer ou não a diferença, por isso, quero te convidar para ler este artigo. Aqui, você saberá enfim o que fazer a respeito desse e de outros dados a serem incluídos no seu resumo profissional. Boa leitura!


Por que incluir CNH no curriculum vitae?


A razão principal para incluir a carteira de habilitação no currículo é, em primeiro lugar, o cargo de interesse. Sendo assim, naturalmente a CNH será obrigatória quando você estiver concorrendo a empregos como:

  • Motorista em suas diversas categorias;

  • Operador de máquinas que exijam CNH;

  • Cargos nos quais a direção de veículos esteja prevista;

  • Professor de autoescola;

  • Mototaxista e motofretistas.

Portanto, se você estiver interessado em dirigir profissionalmente, então deverá inserir sua CNH no currículo com destaque, incluindo a validade e a categoria. Dependendo da função a ser exercida, vale até destacar os pontos acumulados. Claro que, nesse caso, se você estiver com muitos pontos ou mesmo com a CNH suspensa, o melhor mesmo é resolver primeiro a pendência antes de ir à luta.


E por que não incluir?


Por outro lado, há especialistas em Recursos Humanos que não recomendam a inserção de dados pessoais no currículo, inclusive a CNH. Isso porque tratam-se de dados que não fazem muita diferença para o recrutador, pelo menos não em um primeiro momento.

Faz sentido, afinal, quem busca por um emprego em que a carteira de habilitação não é um requisito obrigatório ou um diferencial de fato não precisa incluí-la no CV. A exceção, como destacado no tópico anterior, são os cargos em que você possivelmente venha a dirigir. Contudo, isso nem sempre fica claro no anúncio de uma vaga. Cabe a você usar o bom senso para avaliar se incluir a habilitação fará ou não a diferença.

Ah, aí vai uma dica extra: evite colocar no topo do seu currículo o título “Curriculum Vitae”. Essa é uma prática considerada obsoleta, e que vai vender mal o seu peixe. Seja direto e comece com o seu nome, idade e contatos. E se não souber como organizar os dados, o Canva tem um ótimo editor online que vai te ajudar a fazer um CV campeão.


Onde colocar carteira de habilitação no currículo?


Agora que você sabe em que situações deverá ou não informar no CV a sua CNH, então resta avaliar onde ela será inserida. Assim, para os cargos em que ela seja um pré-requisito, o ideal é inserir já no topo, entre seus dados pessoais.

Para cargos de motorista em transporte de passageiros, elabore um pequeno parágrafo só para incluir dados mais detalhados sobre sua CNH. Nele, inclua, além do prazo de validade e categoria, pontos acumulados (desde que sejam poucos ou nenhum), número do Renach e eventuais restrições, se houver.

Como ser um motorista profissional?


Claro que incluir a CNH no currículo é apenas um detalhe. O mais importante, nesse caso, é estar não só habilitado(a) como preparado(a) para trabalhar atrás de um volante.

Uma dica que gosto de passar para os meus alunos que pretendem usar a CNH para trabalhar é não deixar de fazer a inclusão de categoria B assim que possível, caso você seja habilitado para moto. Isso se você não tiver como tirar a habilitação categoria AB, o que seria ainda melhor para quem tem aspirações profissionais.

Feito isso, outra dica de ouro para conquistar oportunidades de trabalho com uma habilitação é realizar cursos para dirigir veículos especiais, como veremos a seguir.


Que cursos posso fazer com uma CNH no currículo?


Na hora de renovar ou tirar a habilitação pela primeira vez, é possível escolher exercer atividade remunerada ou não. Até aí, tudo bem, mas, em certos casos, não basta apenas registrar na carteira de motorista a intenção de dirigir profissionalmente.

Isso porque, para certas atividades, não só é exigida carteira de motorista com registro de atividade remunerada, como também cursos especiais. Eles são oferecidos pela rede SEST-SENAT em um total de cinco modalidades:


  • MOPP — para dirigir veículos de transporte de cargas perigosas

  • Curso para Condutores de Veículos de Transporte Coletivo de Passageiros

  • Curso para Condutores de Veículos de Emergência

  • Curso para Condutores de Veículos de Transporte de Carga Indivisível

  • Curso para Condutores de Veículos de Transporte Escolar


Cabe destacar que, para alguns deles, você precisará ter na sua CNH a última categoria possível de ser incluída no documento, a AE, que permite conduzir desde veículos de duas rodas como carretas e veículos articulados de transporte público.

Por isso, voltamos à importância de se fazer a inclusão ou, ainda melhor, tirar a habilitação AB. Isso porque, para ter a categoria E, é preciso ser habilitado nas categorias C ou D por, pelo menos, um ano.

Também é exigido ter mais de 21 anos e, por fim, realizar exame toxicológico e um teste para avaliar se o condutor tem algum tipo de distúrbio do sono.

Um detalhe importante sobre essa categoria é que ela não é exigida para dirigir ônibus comuns. Nesse caso, basta ter a habilitação categoria D, que permite dirigir veículos de transporte de passageiros. Para essa categoria, também são exigidos o exame toxicológico, para distúrbios de sono e idade acima de 21 anos, fora habilitação categoria B há, no mínimo, 2 anos.


E o mercado de trabalho para motoristas?


A gente sabe que a maré não está para peixe. Como mostra uma pesquisa publicada na revista Exame, 53% das pessoas que passaram a dirigir Uber o fizeram porque estavam desempregadas.

Nesse caso, a CNH no currículo talvez nem seja tão necessária, já que, para ser motorista de aplicativo não é exigida experiência prévia. O mais importante nesse caso é ter um veículo para dirigir e, logicamente, uma habilitação dentro do prazo de validade.


Exemplo de currículo pronto para você copiar


Veja neste link um modelo que fiz para você se inspirar ao montar seu currículo. No caso, a CNH pode ser inserida no campo "Dados pessoais" na coluna à esquerda.


Seja qual for o seu caso, desejo muito sucesso na sua vida profissional. Aproveite e agende online o seu curso para começar uma nova etapa na sua vida!