google-site-verification=DlPUxduZVoPOEB5b_QbJcG4cgTHg9-H-y1cDUQwxZuA google-site-verification=DlPUxduZVoPOEB5b_QbJcG4cgTHg9-H-y1cDUQwxZuA
 

Por que devemos ter mais mulher no volante?

Nada mais falso do que a batida expressão “mulher no volante, perigo constante”. Felizmente, as estatísticas existem para derrubar mitos e para ajudar as pessoas a entenderem a verdade.

Mulher no volante
Mulher no volante

Se há algo que as mulheres representam, quando estão atrás de um volante, é cuidado, prudência e atenção. Requisitos que todo condutor deve ter, não só para sua própria segurança, como para a de pedestres e outros motoristas.

Quero te convidar para conversar um pouco sobre esse assunto tão importante, para mulheres e, principalmente, para nós homens. Vamos lá?

Mulher no volante, cuidado constante

Uma pesquisa encomendada pela montadora Renault é bastante esclarecedora sobre o comportamento feminino ao volante. De acordo com o estudo:

  • 71% dos acidentes de trânsito são causados por condutores homens;

  • 65% dos motoristas homens não param ou reduzem no sinal amarelo;

  • em contrapartida, apenas 15% das mulheres avançam no sinal de atenção.

Um ponto que precisa ser esclarecido antes de avançarmos no assunto: não se trata de fazer do homem o vilão e as mulheres vítimas. O trânsito é, antes de mais nada, um espaço de convivência, em que ambos os sexos deverão se submeter às mesmas regras.

Portanto, o lugar dos homens não está ameaçado, ou seja, dar às mulheres o respeito que elas merecem não faz dos motoristas pessoas piores, pelo contrário.


O último país do mundo que mulheres não podiam dirigir


Você já deve ter ouvido falar da Arábia Saudita, certo? Localizada no Oriente Médio, é um país muito rico em petróleo, produto que exporta para o mundo inteiro. É o maior país em dimensões territoriais desse subcontinente, e segundo maior país muçulmano do mundo, atrás apenas da Argélia.

Os sauditas são governados por uma monarquia absolutista teocrática, ou seja, lá as pessoas não escolhem seus representantes. Além disso, o governo não é laico, o que significa que religião e política são, na prática, a mesma coisa.

Pois até junho de 2018, a Arábia Saudita era o único país do mundo em que a expressão “mulher no volante etc.” era realmente levada ao pé da letra. Elas eram proibidas de dirigir carro no país, o que as forçava a precisar dos homens para as conduzirem.

Depois de anos de luta, elas finalmente conquistaram um direito que pertence a todos. Em junho, o rei da Arábia Saudita oficializou a decisão que colocou fim à proibição a mulheres na condução de veículos automotores.


Lugar de mulher é onde ela quiser


A grande verdade é que não há nenhum tipo de argumento que justifique uma suposta falta de habilidade na direção atribuída às mulheres. O que existem são estereótipos, mitos criados sem nenhuma base lógica e que acabam se tornando “piadas”. Na verdade, não é muito engraçado rotular as mulheres, que comprovadamente dirigem bem, com um título que só traz prejuízos para todos.

Para nós, do Centro de Aperfeiçoamento e Formação de Condutores Padrão, mulher no volante significa muito mais segurança, para elas e para toda a sociedade. Tenho certeza de que os homens podem aprender muito com o comportamento feminino na direção, o que só traria benefícios e ajudaria a tornar o trânsito um lugar bem melhor. A vida agradece!

E você, está pensando em tirar habilitação? Somos a autoescola em Realengo líder de aprovação. Aqui, você tira sua CNH com a equipe de professores mais qualificada da Zona Oeste do Rio de Janeiro! Venha ser Padrão, nossa vida é facilitar a sua!